domingo, 4 de julho de 2010

Glee-Mania

Olá pessoal!! Já faz um tempinho que eu não apareço por aqui, mas depois dessa sutil repaginada no blog, voltei! Agora, mais do que nunca, me comprometo com uma melhor periodicidade, juro! hehe


Estou especialmente feliz por começar e dedicar esse post ao grande fenômeno que, em poucos meses, virou febre, uma espécie de mania global. Trata-se do seriado musical Glee, que já coleciona recordes de audiência, álbuns vendidos além de uma turnê que está viajando pelos Eua, com expectativa de ser estendida a outros paises.



Então, qual é o segredo desse seriado que, aparentemente, não traz nenhuma novidade? Por que tanto sucesso e esse fervor de dimensões titânicas que hoje gira em torno dos episódios e números musicais.? Péra lá! Acho que não é simples assim! Acredito que a fórmula é usar uma idéia super clichê e aprimorá-la com elementos que vão em direção a uma reinvenção no tratamento dado a história e personagens. Resumindo a ópera: é mais do mesmo, só que de um jeito diferente. Isso não é loucura nem incoerência, você vai entender!


Os episódios são ambientados no High School, onde Wiil Schuester (Mattew Morrison) tenta recriar o Glee clube (coral de música), que em sua época de estudante tinha grande respaldo no colégio. Até aí nada muito diferente de mais um tipo de high school musical, mas a história começa a correr pela tangente quando a gente percebe quem são os protagonistas desse coral quase fadado ao fracasso. Os personagens estão longe dos estereótipos que estamos acostumados a ver nesse tipo de produção: o deficiente físico Artie (Kevin McHale); uma protagonista exacerbadamente dramática e brilhantemente chata, a Rachel (Lea Michele); um capitão de futebol americano bobão, o Finn (Cory Monteith); uma líder de torcida que cai no anonimato por causa de uma gravidez precoce, a Quinn (Dianna Agron); um gay que parece a versão teen do Mcquuen, o kurt (Chris Colfer); uma negra gorda que entre os seus complexos de confiança e falta de auto-estima tempera com um clima soul a série, a Mercedes (Amber Riley); e a japinha gótica, Tina (Jenna Ushkowitz). Além de outros personagens que tornam o grupo diferenciado e multifacetado (Puck, Santana, Brittany). A maioria deles são aparentemente perdedores (o L de Glee faz menção a palavra losers), impopulares e, apesar das diferenças, encontram no Glee club um sentido maior e uma alternativa para a sonhada popularidade. Não podemos esquecer da grande vilã Sue Silverster (Jane Lynch), treinadora do time de líderes de torcida, que arma os mais variados e mirabolantes planos para acabar com esse clube que começa a ganhar notoriedade.


(Elenco)


O que todos tem em comum? São exímios cantores e dançarinos. A atriz que interpreta Rachel, por exemplo, veio diretamente dos grandes palcos da Broadway para estrelar o Glee. Não só ela, como Mattew Morrison (professor Will) e Jonattan Groof (Jesse st. James, vilão líder do grupo rival), que fez uma participação nos últimos sete episódios da primeira temporada. As canções interpretadas pelos personagens, e paralelamente também responsáveis pelo sucesso da série, não são próprias, mas músicas conhecidas do extenso cancioneiro pop. Variadas, temos releituras de sucessos desde os Beatles até Lady Gaga, passando por Soul Music, Madonna, Kiss ,U2 entre os outros mais diversos. O cosmopolitismo musical impera nas incríveis versões adaptadas por eles nesse grande musical. Tudo acompanhado, é claro, de expressivas e muitas vezes, emocionantes performances. Épico!


(Rachel e Jesse cantando "Hello" do Lionel Richie)


Um festival de talento puro. Eu, que já sou pré-disposto a gostar de musicais, fiquei completamente encantado com o Glee. E o movimento causado por eles não pára por aí, ao fazer algumas releituras de músicas antigas, gerou-se o interesse pelas mesmas, em versões originais e começou-se a trazer para o main stream, artistas que já estavam há tempos fora dele. Olívia Newton Jonh é um exemplo disso, com colossal hit oitentista Physical.


(Elenco cantando "keep holding on" da Avril Lavigne)


Nem Madonna saiu ilesa dessa Gleemania, sues hits foram copilados em um único episódio intitulado “The power of Madonna”, onde foi homenageada e algumas de suas canções foram repaginadas com o frescor da novidade de Glee. Destaques para Like a Prayer, Like a Virgen e What it feels lik e for a Girl. A própria rainha do pop se mostrou encantada e entusiasmada. O álbum lançado com as músicas cantadas no episódio da Madonna vendeu cerca de 100 mil cópias na primeira semana, deixando para trás álbuns campeões de venda no momento como os do Justin bieber e AC/DC, além das canções ocuparem o topo das paradas americanas. Que poder!hehe Já que se trata de uma compilação de uma série e não de um cantor secular.


(Elenco cantando "Like a Prayer" da Madonna)


Um feito, se considerarmos que tudo isso foi conquistado durante a primeira temporada apenas! Acredito que essa seja a receita do sucesso: uma boa idéia, muita musica, dança, uma trama que permeie o drama e o bom humor, além de muito, muito talento!


Se você não conhecia e ficou curioso, aqui vai a dica de algumas releituras feitas por eles. Ficaram ótimas:



Don't stop believin', Hold on to that feelin' ...
Abraços

13 comentários:

thaaty disse...

adoooro glee, e como não poderia ser diferente, amei o post. O blog é muitoo interessante! Tô seguindo
beijooo

Dri. disse...

Devo dizer que ao contrário de você, não sou uma grande fã de musicais. Mas talvez esteja ai o segredo de Glee, mesmo dessa forma sou uma grande fã do seriado. :)
Aliás... adorei o blog.

Juliana Rovere disse...

Nossa,Glee realmente é um fenomeno. Adorei o post. To seguindo (:

Micael araújo Andrade disse...

Me desculpe mas não conheço!
Muito teen!Abraço!!

Zé e Zó Blog disse...

Muito bacana esse seriado!

Adalberto Mota disse...

Eu particulamente não gosto. Mas realmente virou febre!

Fabricio bezerra da guia disse...

Eu não gosto do seriado,já tentei assistir mas não gostei.Mas eu vejo videos no Youtube das musicas deles e acho demais,principalmente don't stop ,believe

renata menezes disse...

nossa, Glee é muito massa! mas só por causa das música, o roteiro em si deixa a desejar..

T.S. Frank disse...

Bem... Eu não vi ainda o seriado. Mas... Sou um tanto relutante quando se trata de musicais. Porém não custa nada ver ao menos o piloto.

T.S. Frank
www.cafequenteesherlock.blogspot.com

C.Fazollo. disse...

Então, eu comecei a ver uns episódios de Glee na Fox, mas desisti por 3 motivos: primeiro que a Fox tem muuuuita propaganda e isso desanima qualquer um; segundo que eu tenho uma certa tendência a esquecer de assistir séries -.-; terceiro que achei esse seriado um tanto quanto sem sal. Mas essa é apenas uma opinião. Não gostei do enredo, dos diálogos, do desenrolar da coisa, mas as músicas são bem fodas ;)

http://desventurasefazollisses.blogspot.com/

Alexandre disse...

heheh sou da tribo dos rockeiros

Salete Corrêa disse...

BOm eu sou viciada, adoro tudo, principalmente como eles conseguem deixar toda música ainda melhor do que é, você indicou Bad Romance, mas para mim Poker Face foi ainda melhor!
Gosto da história, é rápida, leve e engraçada. As atuações são ótimas, a direção é excelente, as apresentações estonteantes. fã né? ;)

-' Vivii Lima disse...

Eu amooo *---*, não deixo a assistir um episódio. Tô seguindo com certeza
Beijoos belas postagens