domingo, 30 de outubro de 2011

Rock In Rio 2011 - Deixou saudades


Há exatamente um mês, eu estava curtindo o meu segundo e último dia de Rock in Rio. A essa hora, imagino, o Jota Quest estava a todo vapor colocando as 100 mil pessoas para pular e dançar em um ritmo frenético. Mas a noite só estaria começando. Tudo, até ali, era uma preparação para os dois furacões da noite: Ivete Sangalo e Shakira.

Hoje, trinta dias depois da euforia excitação que o Rock in Rio causou, é possível fazer um balanço mais crítico do evento que abalou as estruturas do Rio de Janeiro. A marca se mostrou mais forte do que nunca, e a cidade do rock veio e calou a boca de qualquer outro grande festival no mundo! Nós, definitivamente, já sabemos como fazer. Coisas a serem melhoradas, obviamente, existem. Mas tudo é tão pequeno se compararmos com a dimensão de tudo que deu certo... Deixou muitas saudades.


Estive presente em dois dias, 23 e 30, mas, em todos os outros (principalmente o dia 1 de outibro) assisti pelo Multishow. Sem nenhuma dúvida, o Rock in Rio se trata de um festival de música, vários estilos de música! A ideia de apenas rock no evento se mostrou mais arcaica do que nunca. Mesmo assim, muitos ainda discutiram sobre essa visão moderna do evento, principalmente aqueles mais conservadores.



Mas vamos voltar a falar do que interessa: a música! Tivemos a oportunidade de conferir um leque grande e variado de atrações. O cardápio foi generoso, desde a pré-adolescente apaixonada pela Katy Perry, até o tradicional metaleiro, fã do Motorhead, foram contemplados. Um verdadeiro festival musical democrático. Era só escolher e curtir.


No dia 23 de setembro, dia de abertura do evento, foi uma da vibes mais interessantes em que eu já estive presente. Os ânimos estavam muito elevados, Katy Perry e Rihanna cantariam naquele dia. Apesar de os outros shows terem sido ótimas apresentações, nada se comparou à Katy Perry. Foi antológico! Houveram alguns deslizes vocais, admito, mas também houve muita cor, dança, música boa e um carisma inexplicável. Era um sonho, ao vivo, de 100 mil pessoas cantando um uníssono.


(Katy Perry)


Dia 30, o carnaval tomou conta da cidade do rock. Monobloco no palco Sunset, e uma mistura mágica caracterizavam as atrações do palco mundo. Ivete e Shakira arrebentaram, fecharam a noite com uma apoteótica parceria e nós, o público, fomos à loucura.


Destaco também, entre os shows que vi pela tv o Marron 5 e a minha mais nova paixão: Coldplay. Já ouvi em algum lugar que se existe uma banda capaz de mudar o mundo, essa seria o Coldplay. Depois do show que vi, concordo.

(Coldplay)


Muitas apresentações sensacionais também merecem ser citadas, mas todos já viram as críticas e os reviews durante esse tempo. E, inclusive, não é essa a minha intenção...


A boa notícia é que tudo já tem data marcada para continuar. Em 2013, um novo Rock in Rio promete abalar ainda mais as estruturas da Cidade Maravilhosa. Alguns setores como transporte e volume de ingressos postos à venda, são alguns dos pontos que merecerão mais atenção na próxima edição. Afinal, apesar de excelente, nada é tão bom que não possa ser melhorado.



Gostaria de mandar um alô para aqueles que viveram essa experiência comigo. Vocês sabem, né? Viver um Rock in Rio é uma fonte de boas memórias que, com certeza, você recorrerá no futuro, quando quiser lembrar-se dos grandes momentos da sua vida. Fica eternizado!



Então, é hora de sacudir a poeira e abrir espaço para mais incríveis memórias. Pois 2013 já está quase aí.


Grande abraço

2 comentários:

Má N. P. disse...

É uma pena que não pude ir.
Deve ser uma energia boa que só o show tem.

Taty Corrêa disse...

Rafa, achei muito bacana seu blog! Estou te seguindo e aguardo uma visita sua no meu blog também! Beijos

http://www.tatycorrea2.blogspot.com/